Carreira

Habilidade analítica: o que é, importância e como desenvolver

POR
Fernando Itano

Não é novidade para ninguém que hoje vivemos a Era dos Dados. A todo momento estamos fornecendo e coletando dados das mais diversas maneiras e, muitas vezes, sequer nos damos conta. Mas o que fazer com todos esses dados? Como interpretá-los e tomar as melhores decisões? A resposta é simples: desenvolva a sua habilidade analítica.

O tipo de habilidade analítica pode variar dependendo de cada área de atuação, mas é definida por especialistas como a capacidade de lidar com diversos dados originários de diversas fontes, mas que se encontram em um mesmo contexto.

O assunto merece mais aprofundamento e o que citamos até aqui é apenas um breve resumo do que iremos conversar daqui para frente. Os próximos tópicos a serem discutidos são:

  • Afinal, o que é habilidade analítica?
  • Qual sua importância para as organizações?
  • Como desenvolver essa habilidade?

Continue lendo para saber como desenvolver sua própria habilidade analítica e tomar as melhores decisões!

Afinal, o que é habilidade analítica?

A capacidade analítica é a competência de conseguir correlacionar várias informações para descobrir não só padrões e tendências, como também visualizar melhor os problemas para maior aproveitamento na tomada de decisão.

Ou seja, é a habilidade de saber organizar dados de segmentos diferentes com a finalidade de gerar respostas e conhecimento a partir dessa análise. 

Alguns exemplos de competências analíticas são: pesquisa, análise de dados e informações, pensamento crítico e comunicação. Todas fundamentais para quem quer se tornar especialista em dados.

Esse tipo de habilidade transforma pessoas em solucionadores de problemas, de forma criativa e eficiente, o que pode ser um trunfo muito importante para entrar em um processo seletivo ou conseguir uma promoção em uma empresa. 

Alguém dotado de habilidade analítica nunca tomará decisões baseadas em achismos. Sua opinião sempre será formada por meio de estudos e dados.

Logicamente, essa habilidade está relacionada ao perfil analítico de cada indivíduo. E aqui temos uma boa ou má notícia. Vai depender do perfil em que você se encaixa.

Algumas pessoas desenvolvem o perfil analítico desde pequenos. Essas pessoas foram crianças que se destacavam por serem mais observadoras e interessadas por leituras e jogos de lógica, e essa característica foi se aperfeiçoando com o passar dos anos.

Não saber gerenciar e analisar dados pode ser prejudicial à sua carreira, mas você não precisa de certificado para atuar em Ciência de Dados. E mesmo que a capacidade analítica não seja natural e espontânea, ela pode e deve ser desenvolvida. 

Qual a importância para as organizações?

Uma pequena pausa agora para fazermos uma mudança de perspectiva nessa conversa! 

Se antes estávamos falando sobre o que é e quais são as vantagens da mentalidade analítica a nível pessoal, agora daremos um enfoque para o nível empresarial. 

Como implementar esse mindset analítico e quais benefícios sua empresa teria? Já adianto que o efeito desejado só será obtido após uma mudança cultural dentro da organização

É necessário que ocorra uma guinada em direção à cultura data-driven. Essa cultura empresarial é a valorização máxima dos dados. Os processos organizacionais e as tomadas de decisão são orientados pelo o que os dados demonstram. 

Portanto, o planejamento estratégico na coleta e na análise de informações será essencial em seu modus operandi. É fundamental que as organizações tenham objetivos bem definidos para fazer uso efetivo dos dados.

A seguir, daremos algumas boas razões para sua empresa desenvolver a mentalidade analítica!

Coleta de dados efetiva

Muitas ferramentas são capazes de auxiliar na captação e análise de dados. Porém, às vezes esse processo pode levar a um ciclo infinito com muitas dúvidas e poucas respostas. Muitas informações coletadas são incompletas e/ou desnecessárias.

A meta é saber identificar quais dados são importantes para que a empresa atinja seus objetivos para transformar uma coleta de dados enorme em uma coleta de dados efetiva.

Contribuição para processos decisórios orientados por dados

Ao coletar os devidos dados para fortalecer a cultura data-driven, essas ferramentas serão capazes de identificar e antecipar problemas da empresa ou oportunidades de melhoria. Por vezes, até mesmo poderão apresentar soluções por meio de seus próprios algoritmos. 

Portanto, ao nos depararmos com um intenso volume de informações, o mindset analítico nos possibilita decisões mais seguras e rápidas. Saber interpretar dados é uma competência essencial para qualquer pessoa ou organização.

Engajamento por narrativas de dados

As ferramentas desenvolvidas com o avanço tecnológico são ótimas não só para cálculos como também para identificar e prever padrões. Porém, necessitam de um toque humano: é preciso desenvolver narrativas humanizadas a partir da análise das informações coletadas. 

Elas devem — e precisam —  ser uma plataforma para que possamos compreender melhor quaisquer fenômenos ou processos de acordo com os dados que nos são disponibilizados. Sem a “ajudinha” da narrativa humanizada, os profissionais não seriam capazes de interpretar sozinhos nossa realidade por meio dos dados.

Como desenvolver essa habilidade?

Antes de entender como desenvolver sua capacidade analítica, confira 5 coisas que você realmente precisa saber para começar em Analytics , também conhecido como “Análise de dados”. 

São conhecimentos que muitos de nós esquecemos lá no Ensino Médio e agora terão uma função importante para uma melhor habilidade analítica e, consequentemente, melhor análise de dados.     

Para começar a desenvolver esse conceito é preciso colocar em prática diversos novos hábitos, incluindo as seguintes dicas: 

  • ser mais observador e curioso: isso te levará a fazer mais perguntas, o que tem um poder incrível de gerar reflexões;
  • ler livros, consumir podcasts e vídeos sobre a cultura data-driven: te mostrará as inúmeras possibilidades no mundo de dados, abrindo sua mente para a aplicação das técnicas sob diferentes pontos de vista.
  • utilizar dados para tomada de decisões na sua vida pessoal: seja para identificar gastos desnecessários no seu orçamento doméstico ou perder peso avaliando o impacto que os alimentos que você consome têm no seu organismo, ter um objetivo pessoal motivará você a buscar respostas e exercitar sua capacidade analítica.

Também crie o costume de “imitar/espelhar” o funcionamento de uma mentalidade analítica: defina qual o foco de análise (problema), divida-o em frações menores para observá-las individualmente e se questione como esse cenário foi viabilizado, ou seja, quais variáveis permitiram essa situação. 

Após toda essa linha de raciocínio, provavelmente você já será capaz de tomar alguma decisão que resolva o problema.

Como você viu, atualmente é essencial saber realizar a gestão e a análise de dados. O futuro indica essa tendência e devemos nos adaptar à essa nova realidade que a transformação digital da Era dos Dados está nos proporcionando. 

Então, que tal se capacitar com uma das melhores escolas do mercado? Nós da Preditiva oferecemos cursos de especialização que irão te ajudar na construção da mentalidade analítica e farão com que sua carreira profissional decole. 

Visite nosso site e conheça um pouco mais sobre nossas soluções!

Fernando Itano
Bacharel em Estatística pelo IME-USP, com Especialização em Inteligência Artificial, Machine Learning, Redes Neurais e Algoritmos Genéticos pela POLI-USP. Possui mais de 16 anos de experiência desenvolvendo modelos para as áreas de Riscos, Jurídico, Prevenção a Fraudes, CRM e outros. Atuou também como Gerente de Ciência de Dados com foco em Inovação, MLOps e Governança de modelos.
Continue lendo...
Glossário da Ciência de Dados
LER MAIS
O que é Machine Learning
LER MAIS
IoT e a Ciência de Dados
LER MAIS
O que faz o Analista de Dados
LER MAIS
Newsletter Preditiva
Inscreva-se e fique por dentro de tudo que acontece no mercado de análise de dados
Obrigado! Aguarde nossas notícias no e-mail escolhido.
Ops. Alguma coisa deu errado.